Blog

Precificação: 5 perguntas para não errar na hora de colocar preço

Finanças

Precificação: 5 perguntas para não errar na hora de colocar preço

A precificação é um processo que exige estudo e dedicação. Quando feita da forma errada, ela pode interferir diretamente no lucro e na saúde do seu negócio. A formação de preços depende de três fatores: seus custos, seu público e seus concorrentes. 

Para te ajudar na precificação correta dos seus produtos ou serviços, reunimos cinco perguntas essenciais para definir esses três fatores e não errar na hora de definir seu preço. Confira! 

5 perguntas para não errar na precificação

1. Quais são os custos e despesas envolvidos no seu produto ou serviço?

Toda venda demanda custos e despesas. Os custos são os investimentos necessários para que um produto ou serviço exista e seja oferecido para seus potenciais clientes. Matéria-prima, mão-de-obra e manutenção são alguns dos custos envolvidos. 

Além disso, há as despesas, que são gastos indiretos, mas necessários para a comercialização, como despesas com marketing, vendas e gastos para manter a empresa funcionando, como contador, aluguel, água e luz. Ao fazer a precificação, tanto os custos quanto as despesas devem ser levadas em consideração. 

7 estratégias de precificação

2. Sua estratégia é de margem ou de giro?

Há duas estratégias principais para definir a precificação de um produto ou serviço: margem e giro. A margem é a diferença entre o custo do produto e o preço de venda. Se você compra um produto por R$50,00 e vende por R$100, sua margem é de 50%. 

Muitas empresas conseguem obter uma margem muito alta na venda dos seus  produtos, mesmo que eles sejam vendidos com pouca frequência. É o caso de joalherias, concessionárias de carros, instituições de ensino e marcas de grife. 

Já outras, ganham na frequência de venda ou no giro do produto. Ou seja, a margem é mais apertada e elas ganham pouco em cada produto individualmente, mas como vendem com muita frequência, ganham no acumulado. Supermercados e lojas de atacado são exemplos de empresas que possuem estratégia de giro do produto. 

finanças para empreendedores

3. Quanto seus concorrentes estão cobrando?

Antes de fazer a precificação da sua empresa, é essencial saber como seus concorrentes estão estabelecendo os preços de seus produtos ou serviços. Eles possuem produtos, serviços, público-alvo e outras características semelhantes à da sua empresa e podem dar uma luz do caminho a seguir. 

Entenda quais são as opções mais caras e baratas disponíveis no mercado, o que eles oferecem de diferencial, se costumam entrar em promoção, de quanto é o desconto que oferecem e se há sazonalidade dos preços. Com essas informações, você terá uma boa base para decidir seus valores. 

4. Qual a percepção de valor do seu público em relação ao seu produto ou serviço?

A percepção de valor do público é quanto o consumidor acha que seu produto vale e quanto está disposto a pagar. Se o seu preço não estiver dentro da percepção de valor do potencial cliente, ele dificilmente será vendido. 

Vamos a um exemplo: há fones de ouvido dos mais variados valores. Você pode cobrar R$1.000,00 pelos seus, mas se seus clientes acharem que não vale isso, que dariam no máximo R$50,00 por eles, não serão vendidos. Essa percepção de valor engloba todos os aspectos do produto, como embalagem, atendimento personalizado, marca, entre outros. 

Para avaliar essa percepção, você pode perguntar aos seus clientes ou verificar como a variação dos preços aumenta ou diminui a demanda dos clientes pelo produto ou serviço. 

tudo sobre conquistar os primeiros clientes

5. Qual a sensibilidade do seu público aos preços?

Outro fator que influencia diretamente na precificação é a sensibilidade dos clientes ao preço. Alguns públicos são mais sensíveis aos preços que outros e isso deve ser levado em consideração na hora de precificar. 

Os remédios, por exemplo, costumam ser pouco sensíveis. Mesmo que aumentem de valor, a demanda permanecerá a mesma, pois os clientes precisam do remédio para se recuperar. Já os produtos alimentícios possuem uma elasticidade maior. Quando os preços aumentam, é comum que alguns consumidores troquem por opções mais econômicas. 

Ao fazer a precificação dos seus produtos ou serviços, leve em consideração os custos e despesas, a estratégia de lucro, os concorrentes, a percepção de valor e a sensibilidade aos preços. 

Leave your thought here

O seu endereço de e-mail não será publicado.